Filemon

FILEMON/SÍNTESE

Depois da saudação e da ação de graças a Deus pela fé e pelo amor de Filemon, e da oração para que continue crescendo na graça, o apóstolo Paulo ventila o tema central da carta. Onésimo, escravo que pertencia a Filemon, fugira da casa de seu senhor em Colossos, aparentemente depois de haver cometido um furto. Chegou ã metrópole de Roma onde entrou em contacto com Paulo e converteu-se a Cristo sob a influência e ministério do apóstolo. E então quando Paulo o envia de volta a seu dono legal, com esta carta pessoal de recomendação a seu favor, para ser entregue a Filemon. Roga a Filemon que receba de volta o arrependido (e também convertido) escravo, com boa vontade; que lhe perdoe e o reabilite, já que não continuaria sendo escravo para ele, mas “irmão amado”. O apóstolo mesmo reembolsaria a Filemon qualquer perda que Onésimo lhe houvesse causado, e esperava que aquele procedesse segundo as circunstâncias do amor e do dever cristãos. O relato em sua totalidade nos oferece uma impressionante analogia da história da redenção, narrada no evangelho.

AUTOR

Em três ocasiões o autor desta epístola identifica-se como Paulo (versos 1, 9, 19), e a carta está, além disso, relacionada com aquela que o apóstolo dirigiu aos colossenses (Colossenses 4:10-17); Filemon 2, 23, 24). Sua autenticidade é geralmente aceita. A carta foi, com toda probabilidade, escrita ao final da primeira prisão de Paulo em Roma, mais provavelmente nos anos 61 ou 62 d.C.

Jacobus J. Muller
Doutor em Teologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *