O pastor e o ministro de música

O QUE TODO PASTOR DEVIA DIZER AO SEU MINISTRO DE MÚSICA

1) Exerça o seu ministério com a convicção de que Deus é soberano e digno de toda a adoração e nós, como seus filhos, devemos adorá-lo em reverência à sua presença entre nós, tendo a consciência de que com isso, estamos servindo ao Senhor.

2) Busque toda a sua inspiração para a atividade musical da Igreja na Palavra de Deus, que nos mostra Deus e sua vontade, interpretada através da orientação do Espírito Santo, que nos usa como seus instrumentos proclamadores e deseja o nosso crescimento pessoal e Integração no corpo de Cristo.

3) Certique-se de que possui uma experiência genuína de conversão a Jesus Cristo como Senhor e Salvador.

4) Esteja integrado à vida da Igreja como mordomo fiel.

5) Não se esqueça de dar testemunho de uma nova vida com Cristo para os que estão de fora.

6) Cultive uma vida devocional à altura de um cristão autêntico, baseada na prática regular da oração e da leitura da Bíblia.

7) Tenha consciência plena de que o seu ministério visa unicamente conduzir a Igreja à adoração a Deus como Senhor soberano, como parte de nosso serviço cristão, procurando fazê-lo através das mais diversas formas e expressões musicais convenientes à ética cristã, de maneira cada vez mais eficiente.

8) Tenha como pressupostos de seu trabalho: a concepção da soberania de Deus, em que Ele é o Pai, Senhor e Criador e, nós, seus filhos, servos e criatura; o o entendimento de que a Bíblia, como a Palavra de Deus, é a nossa fonte de inspiração; a compreensão de que a música sacra é aquela que trata das verdades bíblicas, cuja melodia conduz a um encontro genuíno com o Senhor, independente de seu estilo; a constatação de que tanto Jesus quanto a igreja primitiva fizeram uso da música durante as suas celebrações; a compreensão de que adoração é reconhecimento e que, por isso, devemos fazer o melhor; o conceito de que a adoração pública é um forte instrumento de proclamação e de ensino; a certeza de que a adoração será o nosso serviço na eternidade.

9) Tenha como objetivos de seu ministério: estimular aos crentes de um modo geral a celebrarem a grandeza de Deus e sua soberania; conduzir os participantes de cada culto a se sentirem na Presença de Deus; promover o companheirismo entre os músicos e participantes do Ministério de Música; promover a formação contínua e o despertamento de novos talentos para o trabalho musical e de adoração.

10) Sempre que for elaborar uma ordem ou dinâmica de culto, leve em consideração: o programa de pregação do Pastor; uma seqüência didática e coerente de temas; a prioridade do canto congregacional em relação às músicas especiais; o tratamento igual para os cânticos e hinos
cantados pela congregação; a preferência maior ao canto expresso por grupos (como coros,
conjuntos, quartetos), em relação aos solos, nos momentos de música especial nos cultos; o estímulo ao surgimento de novos valores, usando-os durante os cultos na medida do possível.

11) Ao dirigir ou orientar a direção de cada parte do culto, ou mesmo ao relacionar-se com pessoas, cultive a cordialidade e faça-se tudo com empatia.

12) E, finalmente, veja o seu pastor como um amigo e trate-o como tal. Mesmo que eventualmente não pareça, mas ele quer o melhor para o serviço do Reino. E você é parte indispensável dele. Todos nós precisamos ser apascentados.

E seja uma bênção!

Pr. Irenio Silveira Chaves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *