POR DENTRO DO TABERNÁCULO

 

Pr. Peniel Pacheco

 

Por que estudar sobre o tabernáculo?

Há quem duvide da necessidade de se estudar com maior profundidade os temas bíblicos mais ligados ao povo de Israel.

Para alguns pode parecer  ‘uma perda de tempo’ o debruçar-se sobre um assunto permeado de particularidades tão complexas como o tabernáculo.

O argumento mais forte usado por estes, baseia-se no fato de que o Antigo Testamento, teria uma ligação unilateral com a nação israelita, sendo sua aplicação restrita ao período da história de Israel.

Tal afirmação, no entanto, é absolutamente infundada, uma vez que a própria Bíblia declara que “todas estas coisas sucederam como exemplo para nós” I Co 10:6) e “estão escritas para admoestar-nos” (I Co 10:11).

O escritor aos Hebreus é ainda mais enfático quando declara que todos os detalhes do tabernáculo são “figura e sombra das coisas celestiais”  (Hb 3:5).

Há que se ressaltar ainda que o tabernáculo está mencionado em 50 capítulos da Bíblia, no Antigo Testamento e no Novo Testamento.

A expressão ‘a Tenda da Congregação’ que se refere ao tabernáculo aparece 144 vezes na Bíblia.

Isto nos faz deduzir que, sendo a Bíblia um livro inspirado por Deus, não há porque imaginar que um tema tão fartamente mencionado seja considerado irrelevante para a vida cristã.

Menosprezar o estudo do tabernáculo é desprezar a Bíblia – a palavra escrita – e o próprio Cristo – a Palavra Viva.

Jesus disse: “Examinai as Escrituras porque são elas que de mim testificam”.

Não há, em todo o Antigo Testamento, outro tema mais rico em figuras e símbolos a respeito de Cristo do que o tabernáculo.

É simplesmente fascinante descobrir quanta riqueza espiritual se esconde por detrás daquela tenda no deserto em conexão com a vida de Cristo e da Igreja.

O objetivo do nosso estudo é justamente procurar evidenciar esta relação.

Nossa oração é que Deus remova o véu da obscuridade para que contemplemos face a face as maravilhas da Casa de Deus.

 

CAPÍTULOS  QUE FALAM SOBRE O TABERNÁCULO

 

Velho Testamento

 

Livro

Quant. Capítulos

Capítulos

Êxodo

15

25-31 e 33-40

Levítico

18

1-10, 12, 15, 16, 17, 21, 23, 24 e 26

Números

13

1-5, 7-10, 16, 17, 19 e 31

Deuteronômio

02

16 e 31

 

Novo Testamento

 

Livro

Quant. Capítulos

Capítulos

Hebreus

04

7-10

 

Toda a Bíblia

 

Livros

Quant. Capítulos

Antigo Testamento

Novo Testamento

05

52

48

04

  

TABERNÁCULO O QUE EU TENHO A VER COM ISSO?

 

Quem olha para um desenho ou maquete do tabernáculo ou se defronta com a descrição bíblica da “Tenda da Congregação”, não vê simplesmente uma tenda com quase 5 metros de altura protegida por uma “cerca” de linho com 50 metros de fundo por 25 de frente.

O tabernáculo precisa ser analisado sob 2 pontos de vista:

 

1.       PASSADO – Visão Histórica

O fortalecimento da nação de Israel

 

2.       PRESENTE – Visão Tipológica

O Cristão

A Igreja

Cristo

 

O FORTALECIMENTO
 
Israel havia saído do Egito
 
AGORA

 

O Egito precisava sair de Israel

 
UMA NOVA REALIDADE

 

NO EGITO ISRAEL TINHA:

 

-          casa de tijolos

-          panelas de carne

-          melões, pepinos e cebola

-          água canalizada

-          escravidão

-          idolatria

-          templos pagãos

 

NO DESERTO ISRAEL TERIA:

 

-          tenda de pêlos de cabra

-          codornizes

-          maná do céu

-          água da rocha

-          peregrinação

-          monoteísmo

-          tabernáculo

 

TABERNÁCULO A MORADA DE DEUS

 

“E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.” (Ex 25:8)

 

O Tabernáculo – o tabernáculo foi erigido sob a liderança de Moisés, no deserto. E isso de conformidade com o modelo que lhe foi mostrado em visão, no monte Sinai. O tabernáculo era o lugar permanente da presença de Deus entre seu povo. “E o meu tabernáculo estará com els, e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo”. (Ez 37:27)

 

O Templo de Salomão –  O templo de Salomão estava localizado na eira de Araúna, também chamada Omã (II Cr 3:1). Essa eira ficava no Monte Moriá, o local onde Isaque quase foi sacrificado por Abraão (Gn 22:2). Foi ali que Davi instalou o altar do futuro templo de Jerusalém (II Sm 24:24-25). Interessante notar que a madeira e as pedras foram preparadas de antemão (I Rs 5:18). O comprimento total do interior do templo era de, aproximadamente, trinta metros; a largura total era de, aproximadamente, quinze metros; e o Santo dos Santos ficava num nível superior ao do Lugar Santo.

 

O Segundo Templo – No segundo ano do reinado de Dario I, os profetas Ageu e Zacarias despertaram Zorobabel para que renovasse as suas atividades reconstrutoras (Ed 5:1). De conformidade com o decreto de Ciro, o templo de Jerusalém deveria ser reconstruído com trinta metros de altura. O templo foi completado no sexto ano do reinado de Dario I, no mês de Adar. Tornou-se conhecido como o Segundo Templo, e continuou servindo até o ano de 20 ªC., mais ou menos. Perdurou mais de cem anos do que o primeiro templo, o templo de Salomão.

 

O Templo de Herodes – O trabalho de reconstrução do santuário (o Lugar Santo e o Santo dos Santos), foi iniciado no décimo oitavo ano do reinado de Herodes (20-19 ªC.). As pedras usadas eram as pedras calcárias brancas, nativas da região, cortadas com precisão e polidas. A estrutura antiga foi removida até à rocha, deixando-a nua, e foram lançados novos alicerces. O Lugar Santo  tinha vinte metros de comprimento por dez metros de largura, e trinta metros de altura. No seu interior havia um candeeiro de ouro, a mesa dos pães da proposição e o altar do incenso. O Santo dos Santos estava separado do Lugar Santo por um véu, e sua dimensões eram de dez metros em quadrado, por trinta metros de altura.

 

CONSTRUINDO O TABERNÁCULO

 

DEUS – ação divina

-          Visão e Autoridade

-          Chamada e capacitação

-          Disposição e Habilidade

-          Posses e Liberalidade

-          Abnegação e Fidelidade

 

INSTRUMENTO

-          Moisés

-          Bezaliel e Aoliabe

-          Artífices

-          Príncipes

-          Filhos de Israel

 

AÇÃO HUMANA

-          Motivou todo o povo

-          Compartilharam seus talentos

-          Cumpriram seu lavor

-          Deram o Exemplo

-          Construíram generosamente

 

TABERNÁCULO – CENTRO DE ATIVIDADES DOS ISRAELITAS

Nm 2:2-8 e Ap 4:5-9

 

O tabernáculo seria o centro de todas as atividades dos israelitas. As tribos ficariam acampadas ao redor dele assim distribuídas:

 

1º Exército: Estandarte era representado pela figura de um Leão

Tribo

Homens

Judá

74.600

Issacar

54.400

Zebulom

57.400

TOTAL

186.400

 

2º Exército: Estandarte era representado pela figura de um Homem

Tribo

Homens

Rubem

46.500

Simeão

59.300

Gade

45.650

TOTAL

151.450

 

3º Exército: Estandarte era representado pela figura de um Boi

Tribo

Homens

Efraim

40.500

Manassés

32.200

Benjamim

35.400

TOTAL

108.100

 

4º Exército: Estandarte era representado pela figura de um Boi

Tribo

Homens

62.700

Aser

41.500

Naftali

53.400

TOTAL

157.600

Total Geral das Tribos: 603.550

  

A PLANTA DO TABERNÁCULO

 

O tabernáculo tinha um comprimento de 100 côvados por 50 côvados de largura.

ÁTRIO:

Altar de Bronze

Pia de Bronze

 

LUGAR SANTO:

Altar de Incenso

Mesa dos Pães

Candelabro

 

SANTOS DOS SANTOS:

Arca (Vara de Arão, Tábuas da Lei, Maná)

Propiciatório

 

VISÃO TIPOLÓGICA

 

Quem olha para o tabernáculo vê:

-          Cristo

-          A Igreja

-          O Cristão

 

A TIPOLOGIA DO TABERNÁCULO

 

“...Figura e Sombra... das coisas celestes” (Hb 8.5).

 

ANTIGA ALIANÇA

 

-          Altar de Bronze

-          Pia de Bronze

-          Candelabro

-          Mesa dos Paes

-          Altar do Incenso

-          Propiciatório (arca)

 

NOVA ALIANÇA

 

Cruz de Cristo – o centro de toda a obra redentora. “Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado”. (I Co 2:2)

 

COMPREENDENDO A TIPOLOGIA

 

TIPOLOGIA – é a parte da teologia que estuda as conexões históricas entre determinados fatos, pessoas ou objetos do Antigo Testamento e sua aplicação profética no Novo Testamento.

O Tipo é a pré-figuração do verdadeiro, que é chamado anti-tipo. Em outras palavras, o tipo é uma sombra que antecede o real (o antítipo). Para isto o tipo estará sempre figurando no Antigo Testamento e o antítipo estará sendo confirmado no Novo Testamento. Exemplo:

José é tipo de Cristo, e Cristo é antítipo de José.

 

ANTIGO TESTAMENTO

JOSÉ

 

-          rejeitado pelos irmãos – Gn 37:4

-          deixou a casa do pai – Gn 37:28

-          foi vendido – Gn 37:27-28

-          foi tentado – Gn 39:7-12

-          esteve preso – Gn 39:20

-          exerceu o governo – Gn 41:39-44

-          salvou o povo – Gn 41:57

 

NOVO TESTAMENTO

JESUS

(Antítipo – Hb 9:24)

 

-          rejeitado pelos irmãos – Jo 1:11

-          deixou a casa do Pai – Jo 17:3, 5

-          foi vendido – Mt 27:9

-          foi tentado – Mt 4:1-11

-          esteve preso – Mt 26:47-56

-          exerceu o governo – Is 9:6

-          salvou o povo – Mt 1:21

 

AS CORES DO TABERNÁCULO

 

PÚRPURA – Fala da realeza de Cristo

Mateus – evangelho do Rei

 

CARMESIN – fala do sacrifício de Cristo

                          Marcos - o evangelho do Servo                                              

 

BRANCO – fala da humanidade de Cristo

Lucas – evangelho do Filho do Homem

 

AZUL – fala da divindade de Cristo

João – evangelho do Filho de Deus

 

MATERIAIS DO TABERNÁCULO

 

OURO

Quantidade: 1.270 kg (U$ 875.000,00)

Representa: O divino que se fez menor do que os anjos – Hb 2:9-11

Propósito: Para nossa santificação

 

PRATA

Quantidade: 4.360 kg (U$ 198.605,00)

Representa: O Senhor que se fez servo – Fp 2:7

Propósito: Para a nossa redenção

 

BRONZE

Quantidade: 3.050 kg (U$ 693,00)

Representa: O justo que se fez pecado – II Co 5:21

Propósito: Para nossa justificação

 

MADEIRA (ACÁCIA)

Quantidade: 308,00 m³

Representa: O verbo que se fez carne – Jo 1:1-2

Porpósito: Para nossa salvação

 

A MADEIRA DO TABERNÁCULO

 

Na Septuaginta a palavra sitim significa madeira de acácia que quer dizer literalmente, incorruptível.

 

AS PORTAS DO TABERNÁCULO

 

“Eu sou o caminho e a verdade e a vida” – (Jo 14:6)

 

1.      ÁTRIO

“Vinde a mim”

Chamada Salvação

(Caminho)

 

2.      LUGAR SANTO

“Vinde após mim”

Chamada para a vocação

(Verdade)

 

3.      SANTO DOS SANTOS

“Permanecei em mim”

Chamada para a comunhão

(Vida)

 

AS COBERTAS DO TABERNÁCULO

 

1.      PELES DE ANIMAIS MARINHOS – A encarnação de Cristo

“A si mesmo se esvaziou” Fp 2:7

 

2.      PELES DE CARNEIRO – O sacrifício de Cristo

“A si mesmo se entregou” Gl 2:20 (“Obediente até a morte”)

 

3.      PÊLOS DE CABRA – A humilhação de Cristo

“A si mesmo se humilhou” Fp 2:8

 

4.      LINHO FINO – a glorificação de Cristo

“Pelo que Deus o exaltou”  Fp 2:9

 

OS MÓVEIS DO TABERNÁCULO

 

1.      ALTAR DE BRONZE Cristo “o Cordeiro de Deus”  (Jo 1:29)

2.      PIA DE BRONZE – Cristo “o Purificador da Igreja” (Ef5:26-27)

3.      ALTAR DE OURO – Cristo “o Intercessor dos Salvos (Rm 8:34)

4.      O CANDELABRO – Cristo “a Luz do Mundo (Jo 8:12)

5.      A MESA DOS PÃES – Cristo “o Pão da Vida” (Jo 6:35)

6.      A ARCA E O PROPICIATÓRIO – Cristo “a Esperança da Glória” (Cl 1:27)  

 

OFERTAS DE CHEIRO SUAVE

 

1.      HOLOCAUSTO

- Ato voluntário de adoração

- Expiação pelos pecados involuntários

 

2.      OBLAÇÃO

- Ato de adoração pela bondade e provisões de Deus

 

3.      OFERTAS PACÍFICAS

- Ato voluntário de ações de graças e comunhão

 

OFERTAS PELO PACADO

 

1.      EXPIAÇÃO PELO PECADO

-          Para expiação de pecado específico e involuntário

 

2.      EXPIAÇÃO PELA CULPA

-          Para expiação de pecados involuntários que requerem restituição

 

 

Pr. Peniel Pacheco

Brasília – DF

 

VOLTAR