I TIMÓTEO

SÍNTESE

Desde o princípio do século 18, I e II Timóteo e Tito têm sido chamadas cartas pastorais. Embora não seja totalmente apropriada, esta designação indica a natureza prática do assunto nelas ventilado. Timóteo, pastor inexperiente, ficou encarregado da importante igreja de Éfeso. Paulo, seu pai espiritual, escreve a fim de animá-lo e transmitir-lhe instruções relativas a questões práticas como a adoração em público, requisitos que os oficiais da igreja devem preencher, e confronto com o ensino falso na igreja. Instrui a Timóteo igualmente quanto às relações entre os diferentes grupos da igreja, abrangendo as viúvas, as pessoas idosas, os escravos e os falsos mestres. A primeira epístola a Timóteo contém, portanto, muita informação concernente aos problemas de desenvolvimento da igreja por volta do ano 75 de nossa era. Por toda a carta reflete-se o afeto pessoal do grande apóstolo por seu filho na fé, e sua ênfase no grande requisito para o ministério de Cristo: piedade.

AUTOR

Tradicionalmente, atribui-se a Paulo a paternidade literária da primeira epístola a Timóteo. Esta epístola foi escrita da Macedônia (provavelmente Filipos), por volta do ano 63 de nossa era, no intevalo entre a primeira e a segunda prisão do apóstolo.

Walter W. Wessel
Doutor em Filosofia e Letras

VOLTAR