E o que restou da Lei? Acabou tudo?

E o que restou da Lei? Acabou tudo?

E O QUE RESTOU DA LEI? ACABOU TUDO?

Ao Rev. Caio Fábio,

Gostaria de saber/receber sua orientação sobre o seguinte:
A exemplo do sábado, celebração de festas (êxodo 23:14), circuncisão, etc. etc., o dízimo é para os nossos dias?

Resposta:
Meu amado, muita paz!
Se você ler Colossenses, Gálatas e Hebreus não terá dúvidas quanto ao fato de que tais coisas passaram…já começaram prontas para acabar. Até os profetas do V.T. já tinham insights disso.
A Lei hoje só existe para regulamentar relações sociais, mas não tem nenhum valor aos olhos de Deus se não se fizer acompanhar de fé.
O mundo acabou em Cristo.
O mundo, a Lei, a circuncisão, os cerimonialismo, os sábados, as luas novas, as festas, os sacerdócios, os levitas, o dízimo.
Tudo isso acabou como era ANTES.
AGORA, cada uma dessas coisas tem outro significado, e nenhum deles é Legal.
AGORA, somos chamados a ter uma outra justiça; a justiça que vem da fé em Jesus, e que excede em muito a justiça dos fariseus e dos interpretes da Lei—os de ANTES e os de HOJE.
Cada uma dessas coisas tem agora outro valor.
O mundo é nosso—exceto aquele que jaz no maligno! , que em geral a “igreja” não chama de mundo, mas de sucesso, honra e poder.
A Lei morreu na Cruz, para sempre. E quem tenta ressuscitá-la pisa o sangue da aliança, conforme Hebreus.
A Circuncisão agora é uma obra no coração e na consciência, e se realiza em fé no que Jesus fez na Cruz.
Os sacerdócios agora já não são mais da tribo de Levi, mas segundo a Ordem de Melquizedeque, e são universais; isto é: para todos os homens.
Os levitas não existem mais. Essa ressurreição atual de “levitas” é infantilidade, e suave retorno à Lei. Os cantores de hoje são só cantores. Louvor não é música—pode até ser. Louvor é tudo que é feito com ações de Graça. O que passar disso é a industria da música desejando criar um legalismo para dar autenticidade aos seus ganhos.
O Dízimo não é mais legal. No culto a Deus não há mais nada Legal. Tudo é existencial; ou seja: tem a ver com a oração do publicano, não com a oração Legal do fariseu.
O Dízimo não existe mais como “dízimo”. As contribuições devem exceder o! “dízimo”, assim como o amor excede as obrigações da Lei.
Ou seja: muitas dessas coisas podem ser praticadas como meras simbolizações nos contextos judaicos, mas não para nós, os gentios; à menos que queiramos virar judeus, deixar a Graça, e nos submetermos outra vez à Lei.
Se é assim, Paulo diz: da Graça decaístes!
É muito melhor, no que tange ao dízimo, dizer que a igreja precisa de dinheiro para se manter e fazer o trabalho que ela pode fazer entre os homens. Só isto. E dedicar todas essas ofertas de gratidão e compromisso ao Senhor da Obra.
Era assim que Paulo, o apóstolo dos gentios, fazia e nos ensinou a proceder.
Em Cristo tudo se fez novo. Tudo!
No dia que os cristãos abrirem os olhos e crerem no Evangelho haverá uma revolução!
Quem me dera viver para ver!
Nele, que matou a Lei em Sua própria carne,

Caio Fábio
Visite o site CaioFabio.com

admin