Questionamento à matéria “Visão G-12”

Questionamento à matéria Visão G-12

Recentemente recebi um e-mail de um irmão que discordava da matéria constante de nossa lista de estudos sobre o movimento G-12. Disse-lhe então que sentia muito que o texto sobre o G-12 o tenha deixado abismado como confessou. O problema é que como cristãos vivemos na liberdade do Espírito e é como Jesus mesmo disse: “Se o Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres”. Então, verdadeiramente somos livres para examinarmos e interpretarmos a Palavra de Deus à luz da iluminação do Espírito Santo, julgando profecias e profetas e tendo o discernimento da sã doutrina. De modo que, o autor do texto em referência como qualquer um outro autor que seja contrário ao assunto, sempre o faria na liberdade do Espírito. O que nenhum de nós pode fazer é ir de encontro aos ensinos da Bíblia e principalmente do Novo Testamento. Quando Paulo pregava em Beréia os crentes iam verificando se o que ele falava estava em acordo com a Bíblia, veja:

Atos 17:11 “Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim.”

Escrevendo aos Coríntios Paulo os orienta a julgar as profecias, veja:

I Coríntios 14:29 “E falem os profetas, dois ou três, e os outros julguem.”

Logo, é evidente que toda as doutrinas que surgirem vão sempre estar abertas ao julgamento à luz da Bíblia. Assim, não é nada estranho que algumas pessoas se encarreguem de julgar estas novidades e alertar os demais porque se trata de uma orientação neo-testamentária.

Muitas denominações têm surgido por conta de revelações muitas vezes recheadas de heresias, como: o Adventismo, o Testemunha de Jeová, a Igreja Quadrangular e outras.

Se relermos o texto sobre a Visão G-12, veremos que o autor aponta interpretações incoerentes com os ensinos bíblicos nos ensinamentos deste movimento.

A revelação bíblica se encerrou em Apocalipse 22:18-19, veja:
18 “Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro;”
19 “e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro.”

Então, ter visões e revelações além do texto Sagrado é estar além do que foi revelado na Bíblia Sagrada e isto se constitui em pecado e distanciamento de Deus.

Creio que o Espírito Santo de Deus dá visões e revelações pessoais. O fato de Deus dar uma revelação ou visão a uma pessoa não significa que esta revelação ou visão seja para todas as pessoas. Mas, para a pessoa a quem Deus revelou e deu a visão.
Debaixo da Graça salvadora de Cristo mediante seu sangue derramado na cruz, cada pessoa será tratada pessoalmente por Deus. Assim, as revelações e visões são pessoais. Mas, visões do tipo de que Deus revelou que daqui em diante deve se conduzir a sua igreja de forma diferente da revelada na Bíblia não encontra coerência, nem respaldo com a sã doutrina de que Paulo tanto pediu escrevendo aos pastores Timóteo e Tito. Veja:

I Timóteo 1:3 “Como te roguei, quando partia para a Macedônia, que ficasse em Éfeso, para advertires a alguns que não ensinassem doutrina diversa,”

II Timóteo 4:3 “Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos,”

Tito 1:9 “retendo firme a palavra fiel, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para exortar na sã doutrina como para convencer os contradizentes.”

Tito 2:1 “Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina.”

O autor aos Hebreus diz que devemos prosseguir até a perfeição da doutrina de Cristo, e isto significa rejeitar doutrinas que venham de encontro à própria doutrina do Mestre, veja:
Hebreus 6:1 “Pelo que deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição, não lançando de novo o fundamento de arrependimento de obras mortas e de fé em Deus,”

Ainda o autor aos Hebreus exorta não nos deixar levar por doutrinas várias e estranhas, veja:

Hebreus 13:9 “Não vos deixeis levar por doutrinas várias e estranhas; porque bom é que o coração se fortifique com a graça, e não com alimentos, que não trouxeram proveito algum aos que com eles se preocuparam.”

No caso das doutrinas da Visão G-12 muitas delas se enquadram perfeitamente no que o autor aos Hebreus está exortando.

Escrevendo aos Gálatas, o apóstolo Paulo expõe que, ainda que um anjo viesse do céu e pregasse outro evangelho alem do que havia sido pregado por ele deveria ser considerado anátema (mentira, não verdadeiro). E que o evangelho que devemos pregar não é segundo os homens, mas segundo revelação de Jesus Cristo (revelação bíblica), veja:

Gálatas 1:6-12
6 Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho,
7 o qual não é outro; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo.
8 Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema.
9 Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.
10 Pois busco eu agora o favor dos homens, ou o favor de Deus? ou procuro agradar aos homens? se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.
11 Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens;
12 porque não o recebi de homem algum, nem me foi ensinado; mas o recebi por revelação de Jesus Cristo.
Eu não participei dos encontros porque desde o início achei muito estranho algumas as doutrinas, e mais tarde vi diversos líderes confirmarem tudo o que eu também havia suspeitado.

Examine o seguidor de Cristo as doutrinas e ensinos da Bíblia e verifique se há coerência entre o que a Bíblia ensina e o que é revelado aos homens além dela. Porque não é por força nem violência mas pelo Espírito do Senhor que devemos obedecê-lo, segui-lo e fazer a sua vontade, para não sermos pegos nos distanciando da sã doutrina do evangelho de que tanto exortou o apóstolo Paulo – o maior doutrinador da igreja cristã.

Lembremo-nos de que o fato de a Igreja crescer não é por causa do G-12, mas por causa do nome de Jesus e sua Palavra que é pregada pela sua igreja da qual nos diz o texto sagrado que não voltará vazia. Às vezes o evangelho é pregado até por inveja e contenda e as pessoas se convertem, veja:

Filipenses 1:15-18

15 “Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente;”
16 “estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho;”
17 “mas aqueles por contenda anunciam a Cristo, não sinceramente, julgando suscitar aflição às minhas prisões.”
18 “Mas que importa? contanto que, de toda maneira, ou por pretexto ou de verdade, Cristo seja anunciado, nisto me regozijo, sim, e me regozijarei;”

Tenho uma outra matéria que não está no Site, chamada: “Movimento G-12: Uma Nova Reforma ou Uma Velha Heresia?” , do autor: Joêr Corrêa Batista, que posso enviar pelos correios para qualquer irmão que se interessar pelo assunto, bastando me enviar um e-mail com os dados completos de nome, endereço e CEP.

Augusto Bello de Souza Filho
Bel. Em Teologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *